domingo, 30 de março de 2008

As Cores

Desenho feito pelo Hugo

As cores


Da janela do meu quarto,
De manhã quando me levanto,
Vejo o mundo como eu quero
Quase sempre o invento.

Nesse mundo eu sou o rei,
Crio o meu próprio império,
Ordeno tudo o que desejo
E todos me levam a sério.

Hoje acordei a defender as cores!
Quero tudo colorido.
As casas altas cor de prédios,
E o Sol de um amarelo bem definido!

O céu vai ser azul limpo.
Isto é uma promessa,
O vento transparente, fresco
E que ninguém o impeça.

E os meus amigos?
Que cores irão eles ter?
As cores dos seus países?
Ou as cores que eu quiser?

Ao mais pequenino,
É a cor do sol que lhe quero dar.
Com seus olhos em forma d’ arroz,
Nenhuma outra vai combinar.

Para combinar com o Samba,
Dança que traz sempre no pé,
Damos a outro amigo meu
A cor morena perfumada de café.

E para aquele que veio do frio,
E que fala de forma bem diferente,
Vou dar-lhe um tom bem claro
Para combinar com seu sorriso quente.

A musica será sempre,
Ponto da nossa união,
Adufes, guitarras e tambores
Para formar uma só canção.

Mas tenho mais amigos
Que também vou apresentar,
Cada um com sua cor,
Cada qual com seu pensar.

Porque o pensar é livre,
É boa forma de expressão,
Que podemos pôr nos poemas
E transformá-los em canção.

Falo agora do negrinho
O que veio da Guiné,
Tem cor de chocolate
E sabe tocar jambé.

E para completar o grupo,
Falo dele com vaidade,
Um Índio sonhador,
Que sonha com a liberdade.

As cores que eles têm
Não foram dadas por mim,
São as cores das suas raças
Gosto deles mesmo assim.

E com a minha imaginação,
Lá vou colorindo o mundo,
Os sorrisos são cor da paz
Meu desejo mais profundo.

Cada vez mais em cada escola,
Cada bairro ou cidade,
As raças mais se misturam,
Para que exista a igualdade

Para que a frase mais conhecida,
“ Todos diferentes todos iguais”
Ganhe agora mais sentido, quero-a
eu, escrita em todos os jornais.

Para que todos a possam ler,
Para que todos a conheçam
E no mundo verdadeiro
Todos acreditem e não a esqueçam.

Continuo na minha janela,
A pensar em colorir maravilhas,
Desta vez vai ser o mar azul,
Salpicado do verde das ilhas.

Da janela do meu quarto,
Continuo a espreitar,
Vejo o mundo como quero
Não preciso de o inventar.


Quero brincar com todos,
Quero tê-los na minha escola
Quero falar, dançar com eles,
Quero tocar tambores e viola.

E quando chegar a tardinha
Junto ao coreto da praça,
Brincamos todos em grupo
Aqui não há cor nem raça.

23-04-07
Gina (Mãe do João Paulo,2ºB e da Margarida do JI)



3 comentários:

Galmaran disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Marinho disse...

Quero autorizacao para reproduzir o texto "AS CORES" em meu blog. www.marinhocool.blogspot.com, Pode isso ser?...

Biblioteca Escolar EB1/JI Ponte de Sor disse...

Tem autorização da autora do texto "As Cores" para o publicar no seu blog.